domingo, 26 de julho de 2009

SENHORAS E SENHORES, ACABOU O PAPEL!

Você, assim como eu, postou-se diante da tevê e emocionou-se com a esperança das “diretas já”. Chorou com o seu fracasso. Você, assim como eu, chorou quando Tancredo foi “eleito”. Chorou quando Tancredo ficou impedido de tomar posse (no dia seguinte, pode?) e, pela televisão, você assistiu Antônio Brito, ainda jornalista, anunciar sua morte. Chorou quando Sarney tomou posse do cargo que nem era seu (ele, ainda, não era o vice, lembra?). Chorou com todo o seu governo. Verteu lágrimas salgadas quando o “caçador-de-marajá” venceu o “sapo-barbudo” e ganhou a eleição, em um último debate, por causa de um aparelho de som (imagina!). Copiosamente, quando o mesmo confiscou a nossa miserável poupança e Zélia (lembra?) lançou o cruzado. Chorou no governo Fernando Henrique com suas privatizações e desmantelização do Estado. Pegou uma estrelinha vermelha, que nem era sua, e saiu por aí (e ficou marcado pra sempre, por isso). Chorou emocionado quando o tal “sapo barbudo” ganhou seu primeiro mandato, afinal, era preciso arriscar tudo e ele era um de nós no poder. Chorou na sua posse “popular”. Você confiou! Você, assim como eu, esperou. O tempo passou e vieram o Zé Dirceu, o Delúbio, o Duda, o Marcos Valério, o Palocci, o Genuíno, a Dilma. Ah! A Dilma! Aí chegou o Roberto Jefferson! Você chorou com o mensalão. Você chorou! Aí veio o Eriberto! E vieram as pizzas. Você até pensou que nem tinha mais o que chorar. Mas, aí, veio o segundo mandato (quando acabaremos com as nefastas reeleições, em todas as instâncias?) e você começou a enxergar um pouco por detrás dos holofotes e entender melhor a história desse nosso pobre e espoliado Brasil, Pátria nossa. Aí, você começou a descobrir que eles estão onde estão, não pela luta contra um adversário de sete cabeças, e em nosso favor. Eles estão onde estão pelos acordos, pelos conchavos, pelos silêncios, pelegando como sempre fizeram, amaciando os caminhos, fazendo alianças. Vendendo a mãe!
Aí você viu, já com seus olhos secos de lágrimas, com seu peito doído pelo desalento, com sua cara de bobo, os cara-de-pau “sarney-collor-renan e lula” u-n-i-d-o-s! Aí, você pensou: “só pode ser contra nós” e se perguntou: quem mais está vendo isso, com tantas bolsas, tantos financiamentos, para que a classe D passe para a classe C. Aí, você como eu, que pensava estar na classe B e foi rebaixado para classe C, que não sonega - e continua pagando seus impostos direitinho -, que sua a camisa e faz malabarismo pra dar conta dos seus gastos, do seu plano de saúde, da escola dos seus filhos, que nem joga papel na rua, que faz trabalho comunitário, que crê em Deus(!), quer desistir e jogar a toalha, porque o “sapo-barbudo” rendeu-se e cumpliciou-se ao “príncipe-do-cruzado”, ao “casanova-do-senado” e ao “marajá-do-maranhão”(eleito pelo Amapá)! Aí, você, assim como eu, está em vias de perder as esperanças de ver esse País desenvolver-se, de fato! De certo, se o PIB e as pesquisas estão em alta (será?), o mesmo não se pode dizer, em termos políticos. Estamos é involuindo, em meio a um popularismo assustador, “bananizando” (de banana, mesmo) nosso futuro.
Eles estão de férias! Eu sei. Só retornam dia 3 de agosto. Sabemos nós. O Congresso está fechado. Também sabemos. Porque eles, suas excelências, “trabalharam muito” neste primeiro semestre e, agora, precisam estar nas suas bases. Lá, nas bases, eles torcem para que a paradeira esteja amainando a fogueira. Alguns já até podem estar comemorando, por isso.
Mas, eles estão enganados! Nós não. É bom avisar as excelências. Nós não estamos de férias. O dragão, também, não. São Jorge ainda não chegou e ele continua lá dentro, vertendo fogo e fumaça, defumando tudo. E nós, do povão, estamos aqui fora, atocaiados, como jagunços, cuidando, observando, como quem não quer nada, mas que tudo quer. Eles não imaginam o que pode acontecer nesse mês (de agosto) do “cachorro louco”, em que já nos acostumamos com os vendavais. Eles podem até pensar que voltarão, contando com o nosso esquecimento, com o nosso aquietamento. Mas, tudo mudou e nem sei se vai dar tempo de ligar o piloto automático. Nem sei mesmo se irão sobreviver para suas espúrias reeleições de 2010. Sem dúvida, eles cairão, é questão de tempo. Mas, na volta, uma coisa é preciso que suas excelências saibam. Nós não estamos mortos. Estamos cansados, é verdade, sem lágrimas, mas alertas. E, antes que me esqueça, é bom avisar...
Senhoras e senhores, acabou o papel - nos banheiros e nos gabinetes! Basta.


Este artigo foi publico em 29 de julho de 2009, no jornal Correio do Estado, Campo Grande, MS

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

Alertado para este seu post, pela nossa amiga Fabiana Guaranho, vim conhecer seu blog! Parabéns, vou segui-lo!

rosanefranca disse...

Vai fundo Maria. Tá na hora de dar um basta!
Eu só queria entender quem é direta.....quem é esquerda..........Hoje eu só tenho como certo que eu sou uma Cara de Tacho